WP-ThGWU6Yg-LZQP372atnaqZcM O Irã entre os países que mais executa pena de morte no mundo | Imigrantes Brasil

O Irã entre os países que mais executa pena de morte no mundo

Pelo menos 270 pessoas foram enforcadas em 2009 e 169 foram executados em 2010. O Irã é um dos países que mais aplica a pena de morte no mundo, junto com China, Arábia Saudita e Estados Unidos.

O Irã, assim como a Arábia Saudita, aplica uma estrita versão da "Sharia", ou Lei Islâmica, e pune com a pena capital crimes como assassinato, seqüestro, estupro, assalto à mão armada, entre outros. Além disso, as pessoas condenadas por adultério são punidas com o apedrejamento.
Esta bela moça Zahra Bahrami , que tinha nacionalidade iraniana e holandesa foi presa durante  manifestações contra Mahmoud Ahmadinejad. De acordo com as autoridades, com ela foram apreendidos 450 gramas de cocaína. Seus familiares afirmam que a droga foi um pretexto para executá-la.

As últimas execuções no Irã, condenadas por várias organizações internacionais de direitos humanos, fazem parte de uma campanha de segurança lançada pelas autoridades locais que tem como objetivo lutar contra a delinqüência no país, especialmente em Teerã.

Nesta terça-feira o governo do Irã executou por enforcamento um adolescente de 17 anos condenado por matar um atleta do país, apesar dos pedidos pela suspensão da execução.

Uma agência de notícias estatal informou que Alireza Molla-Soltani chorou muito e pediu perdão antes de sua execução. A Anistia Internacional liderou os pedidos pela suspensão do enforcamento, alegando que o jovem ainda era adolescente. Mas, a Justiça iraniana afirmou que, pelo calendário lunar islâmico, Soltani já tinha completado os 18 anos.


O Irã enforcou 22 pessoas por tráfico de drogas na segunda-feira, na mais recente execução em massa do país. Para correr o risco de ser executado no Irã basta ser contrário a política interna implantada pelo  ditador Mahmoud Ahmadinejad.






3 comentários:

LucasAdjafre disse...

A mulher da foto é Nedah, morta durante uma manifestação pública em Teerã. Desde então ela virou símbolo da oposição.

Bento Santiago disse...

Deve ser um paliativo para a consciência brasileira falar de outros países com ar de superioridade.
Se formos dar a medida exata, as mulheres iranianas são muito mais respeitadas do que as brasileiras e quanto à pena de morte, ela é muito mais frequente no Brasil do que em qualquer outro país, a diferença é que aqui as execuções são feitas à revelia dos tribunais.

Donizete disse...

Lucas obrigado pela gentileza. A foto foi corrigida.

Estamos atentos e a denunciar estes abusos contra os direitos humanos e principalmente das mulheres.

Donizete